Amor eu tenho um plano. Liberte-se!

Planejamento financeiro: qual a importância de planejar as finanças?

Planejamento financeiro: qual a importância de planejar as finanças?

Guardar dinheiro para o futuro é um assunto que ainda não faz parte do dia a dia da maioria dos brasileiros. Mesmo as pessoas que guardam algum dinheiro continuam presas a aplicações tradicionais.

Tais aplicações normalmente possuem rendimento baixo, como a poupança, por exemplo.

Mas existe uma ferramenta muito poderosa que pode ajudar a alterar esse quadro: o planejamento financeiro.

Planejamento financeiro é um conjunto de medidas que você pode tomar para atingir um objetivo. Essa meta pode ser generalista, como melhorar a sua vida financeira, por exemplo. Também pode ser mais específica, como fazer um plano financeiro para a sua próxima viagem de férias.

De uma forma bem simples, trata-se do que você pode fazer hoje para chegar onde quer amanhã. Como veremos mais adiante neste post, existem várias formas de colocar esses planos em prática: planilhas, aplicativos de controle financeiro ou os bons e velhos lápis e papel.

O mais importante é ter consciência de que você tem o poder de decidir hoje como será o seu futuro financeiro. Para isso, basta fazer um bom planejamento financeiro. Vamos entender como fazer isso a partir de agora.

Planejamento financeiro: o que é, para que serve?

Planejamento financeiro é, como o próprio nome já diz, a capacidade de planejar o modo como você lida com seu dinheiro. É antever situações futuras, criar objetivos e adaptar seu comportamento para garantir que suas metas sejam cumpridas.

Quando se trata de planejamento financeiro, o Brasil tem pouco a mostrar ao mundo: em um ranking divulgado pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), em 2016, o Brasil alcançou a 27ª posição em educação financeira entre 30 países. Em diversas pesquisas globais sobre o mesmo tema, o país figura sempre nas últimas colocações.

Infelizmente, a educação financeira não é incentivada por aqui. Essa falta de preocupação com o tema leva o país a ter indicadores decepcionantes e que afetam diretamente o dia a dia dos cidadãos. A solução, no entanto, é mais simples do que parece.

De acordo com as palavras do estatístico William Edwards Deming:

William Edwards Deming“Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, e não há sucesso no que não se gerencia.”

São vários os benefícios que vêm do planejamento financeiro. Um dos principais deles é melhorar a vida financeira e os hábitos de consumo do indivíduo, além de proporcionar o autoconhecimento sobre a própria realidade financeira.

Muitos não têm a mínima noção de quanto gastam — e isso sem contar os casos de quem gasta mais do que ganha. É exatamente nesse ponto que a maioria das pessoas se perde. Com planejamento financeiro, isso pode ser resolvido.

Conseguir organizar a vida financeira sem a necessidade de tomar empréstimos e sem ser pego de surpresa com contas não planejadas são grandes vantagens. Na prática, infelizmente, muitas pessoas não conseguem manter esse controle, dado o número de pessoas endividadas.

Quem tem um planejamento financeiro adequado, por sua vez, sabe exatamente quais são as contas que deve pagar ou quando suas contas vencem. Assim, pode ficar muito mais tranquilo e se planejar mais facilmente.

O segundo passo é ter controle sobre o seu orçamento pessoal: o quanto você ganha e o quanto você gasta.

Esse é um grande desafio para quem não desenvolveu o hábito de acompanhar suas finanças. Muitas pessoas mantêm apenas um controle mental de sua renda e seus gastos, mal sabendo que esse controle é falho. ​

Você pode esquecer facilmente de considerar alguma despesa por considerá-la pequena demais. Porém, se ela for recorrente, pode comprometer e muito o seu orçamento. É geralmente dessa forma que várias corridas de R$ 10 no aplicativo de carona se transformam em uma fatura bem cara do cartão de crédito.

O ideal é realmente registrar o que acontece em sua vida financeira, para depois analisar e identificar quais medidas podem ser tomadas para atingir a sua meta. E o próximo passo é justamente esse.

5 – Pense bem antes de pagar a prazo

Quando você se entrega aos “prazeres do consumo fácil”, mediante parcelamentos, você deixa parte de seus recursos escorrerem pelos dedos no pagamento de juros. Em alguns casos excepcionais você não tem escolha a não ser comprar parcelado, mas, sempre que possível, procure comprar à vista e ainda pedir descontos. Pode não parecer, mas faz uma diferença enorme!

 

6 – Mantenha o foco

Como falamos no começo do texto, fazer um planejamento financeiro é de fato, um enorme desafio. Muitas pessoas tem medo até de começar porque acham que é impossível. Mas como você deve ter visto, é importante dar o primeiro passo e sair da inércia da falta de controle financeiro. Uma vez feito isso, a principal dica é não desistir. Não é fácil, mas a recompensa no final vale muito a pena. Acredite!

7 – Recorra ao auxílio de especialistas

Se você acha que não consegue fazer tudo sozinho, procure a ajuda de especialistas. Existem diversos profissionais e empresas – como as consultorias de investimento – que podem te auxiliar não somente em seu planejamento financeiro, mas também em suas aplicações financeiras. É possível, por exemplo, aplicar seu dinheiro sem fila, sem burocracia e sem sair de casa!

Use os investimentos para aumentar a eficiência do seu planejamento financeiro

Depois de compreender a importância e dar os primeiros passos para montar o seu planejamento financeiro, é a hora de usar uma poderosa arma para chegar mais rápido aos seus objetivos: os juros compostos.

Investir é uma prática que deve fazer parte do seu planejamento financeiro. Afinal, existem milhares de possibilidades no mundo dos investimentos e, certamente, uma delas atende os seus objetivos.

Fonte: Blog Magnets

Deixar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Compare
Wishlist 0
Open Wishlist Page Continue Shopping